sábado, 31 de dezembro de 2011

Nos Trilhos do Vera Cruz - Dom Pedro II, "O destino"

"Piuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...
...iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Uau! Vocês sabem o que isso significa? Chegamos à estação Dom Pedro II, o nosso destino!

Estação do Campo, Estação da Corte. Todos esses foram nomes da estação hoje chamada de Dom Pedro II, mas popularmente chamada de Central do Brasil. Na verdade, a Estação da Corte ficava no Campo da Aclamação. Sim, o nome da ferrovia, esta desaparecida em 1975, acaba sendo o nome informal da estação, e ainda resiste a todas as mudanças da sociedade à sua volta. Foi nome de filme que até concorreu ao Oscar. Teve um prédio construído em 1858 para inaugurar a linha - claro, com a presença do Imperador que lhe emprestaria o nome apenas anos mais tarde (mais precisamente, em 2/12/1925). Foi reformado anos mais tarde - teve a parte central do edifício reconstruída em 1871. Em 1879, Pereira Passos afirmava que ainda se estavam por fazer duas alas laterais, o aumento da coberta sobre as plataformas de passageiros e uma outra coberta igual a essa para o serviço especial dos trens de subúrbios. Foi finalmente demolido nos anos 1940, quando se entregou o prédio atual (1943), que além de estação, ainda servia de escritórios para a E. F. Central do Brasil, mais tarde para a RFFSA. O Rio de Janeiro teve várias ferrovias saindo da mesma região onde hoje está a Dom Pedro II, mas somente esta resistiu: as outras, Barão de Mauá, Alfredo Maia, Francisco Sá, que serviram à velha E. F. Leopoldina, à linha Auxiliar... todas foram fechadas. Tudo foi centralizado na primeira delas, que até hoje vê sair os trens metropolitanos para Japeri, a antiga Belém, para Paracambi, a antiga Tairetá, para Vila Inhomerim, a antiga Raiz da Serra... o movimento de trens ainda é muito grande, mesmo depois do desparecimento dos que seguiam para São Paulo, para Belo Horizonte, para Campos e Vitória, para Salvador, para Três Rios e centenas de outras cidades pelo Brasil afora, linhas que foram - dizem alguns - criminosamente suprimidas em favor de interesses outros. De qualquer forma, mesmo sem os seus passageiros engravatados e formais, hoje com os seus passageiros simples e nada informais, sem a limpeza de outrora, ela ainda ostenta uma majestade digna de seu nome.

A estação original de 1858...

... foi se modificando com o tempo...

... entrando no século XX mais ampliada ainda...

... convivendo algum tempo com o enorme prédio em construção que ia subir...

... que é o que está lá hoje...

... com um pátio ferroviário bastante grande para comportar todas as linhas

Bom pessoal, nossa viagem termina aqui. Agora vamos ver a retrospectiva da viagem, e depois a retrospectiva do ano aqui no blog! Então, até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Seja bem-vindo ao Blog Sobre os Trilhos! Deixe um comentário aqui! Todos os comentários serão lidos e respondidos! Tá esperando o que? Embarque nessa viagem pelas ferrovias do Brasil e do mundo!

(Bruno Melo Almeida, diretor do Blog Sobre os Trilhos)