sábado, 30 de junho de 2012

Estação de Cachoeiro de Itapemirim

Olá pessoal! Como vão? Hoje vamos fazer mais uma viagem, para Cachoeiro de Itapemirim! Essa belíssima estação capixaba encontra-se atualmente sem trilhos, mas possui uma bela história!

Estação Ferroviária de Cachoeiro de Itapemirim
Município de Cachoeiro de Itapemirim, ES

EFL - Linha do Litoral

E. F. Leopoldina (1903-1975)
RFFSA (1975-1995)

No final dos anos 1880, a vila de Cachoeiro do Itapemirim, "segundo os dados estatísticos fornecidos por diversos, poderá dar (para a ferrovia) em café, vindo dos arredores, da parte norte da vila e das colônias vizinhas, cerca de 150 a 180.000 sacos de 4 arrobas". A estação de Cachoeiro do Itapemirim parece ter sido inaugurada ainda pela E. F. Sul do Espírito Santo, em 1903, segundo o Guia Geral de 1960. Era também chamada somente de Itapemirim. Mais tarde, também se chamou Muniz Freire e finalmente tomou o nome da cidade: Cachoeiro do Itapemirim. Ela fica localizada praticamente às margens do rio Itapemirim, mas a uma distância que permitiu a construção de alguns prédios entre ela e as águas do rio. Nas fotos mais antigas - que infelizmente não disponho de cópias para colocar no site -
ela aparece tanto com um nome quanto com outro, e não tinha o segundo andar que aparece nas fotos abaixo, que são mais recentes: as fotos mais antigas mostram que havia apenas o andar térreo e que o prédio era o mesmo, apenas tendo sofrido uma reforma com o acréscimo do andar - uma torre central, na verdade - mais tarde. Existia, próximo à estação da Leopoldina, uma outra estação, numa praça de nome João Pessoa - na verdade, era também o nome da estação; hoje, a praça tem outro nome (Praça Pedro Cuevas Junior) e a estação não mais existe - que servia de início à Estrada de Ferro Itapemirim, que ia para o litoral, nessa cidade (Itapemirim). As linhas não se juntavam, mas havia como passar carga de uma para a outra. "A estação da Itapemirim ficava a uns 200 metros da estação da Leopoldina. Enquanto essa perpassava a cidade de uma ponta a outra, a de Itapemirim chegava por outra via e não chegava a alcançá-la, embora ficassem no mesmo plano visual. Ao chegar próximo das estações, os trilhos das duas corriam paralelo, com um desnível de 1m - o da Itapemirim era o mais alto. A ferrovia para Itapemirim teve importância econômica para aquele município, pois escoava a produção de abacaxi que era depositada em grandes pilhas no pátio da estação da Leopoldina. A história dos abacaxis ficou muito forte na minha lembrança: eram pilhas enormes e os abacaxis, muito maduros, exalavam um forte cheiro que impregnava toda aquela área em volta. Nós morávamos exatamente em frente à estação" (América M. Moysés, 11/2005). Em 1995, a linha foi retirada do centro da cidade, por onde passava por uma rua dividindo o trânsito com os carros, e foi transferida para fora da área urbana. Ficou ali a estação, como lembrança do passado. "A estação da antiga Leopoldina no centro da cidade foi totalmente reformada pela prefeitura e acho que vai ser um centro cultural ou talvez algum departamento dela, os homens estão resolvendo" (Gladstone Rubim, 03/2005). Realmente, no final de 2005, estava restaurada e abrigando a Secretaria Municipal da Cultura.

A estação em 1977. Autor desconhecido

A estação ainda com seu movimento, prov. anos 1980. Foto Paulo H. Thiengo

A estação em 1988. Acervo Milton Palhares

A estação nos anos 1990, ainda com os trilhos e com movimento no centro da cidade. Foto Sebastião Faria Camargo

Caixa d'água da estação, desfigurada, em 2001. Foto Paulo Szabadi

A estação em 2001. Foto Paulo Szabadi

A estação em 2001, já sem trilhos. Foto Paulo Szabadi

A estação de Cachoeiro, restaurada, em 01/01/2006. Foto Marcos A. Farias

A estação de Cachoeiro, restaurada, em 01/01/2006. Foto Marcos A. Farias

A estação de Cachoeiro, restaurada, em 01/01/2006. Foto Marcos A. Farias

É uma pena uma estação tão bela ter sido desativada, não é? Bom pessoal, por hoje é só! Boa noite, pessoal! Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Seja bem-vindo ao Blog Sobre os Trilhos! Deixe um comentário aqui! Todos os comentários serão lidos e respondidos! Tá esperando o que? Embarque nessa viagem pelas ferrovias do Brasil e do mundo!

(Bruno Melo Almeida, diretor do Blog Sobre os Trilhos)